Segmentação de Redes - Athena Security

Segmentação de Redes

É muito comum acontecer de uma empresa se iniciar no mercado sem uma boa estruturação e segmentação de redes, com apenas os quesitos básicos de funcionalidades para acesso à internet, pois a estrutura de TI normalmente se desenvolve junto ao crescimento da empresa. Por isso, a prática de segmentação de redes infelizmente pode ficar em segundo plano, ou seja, vista como algo sem prioridade no início.

Todas as empresas, independentemente de seu tamanho, mercado ou região, estão suscetíveis a ataques cibernéticos graves quando não priorizam a importância da segurança no seu ambiente.

Não basta apenas segmentar a rede

É preciso utilizar um firewall e implementar políticas que estabelecem regras para a comunicação entre os dispositivos usados. Afinal, por mais que a rede esteja segmentada, essa medida não vai ser útil se o computador da recepção puder se comunicar livremente e contaminar o banco de dados de um sistema ERP, que guarda as informações referentes à gestão financeira do negócio ou os dados sensíveis de clientes, por exemplo.

A política de segmentação deve prever que só se comuniquem os dispositivos que necessitam dessa interação para trocar dados referentes à necessidade da empresa. Essa compartimentação precisa primeiro classificar as informações, das mais banais às mais sensíveis, e estabelecer um perímetro que separe esses grupos.

Cenário 01 (Não recomendado)

No cenário 1, demonstramos o ambiente que não possui uma estruturação e segmentação de redes adequada, que como consequência, os dados podem ser comprometidos facilmente, gerando grandes danos ao negócio da empresa devido à sua vulnerabilidade.

Também é muito comum de se ver um ambiente com apenas as configurações padrões dos roteadores, levando em consideração que os dados mais sensíveis da empresa ficam disponíveis e com fácil acesso de hackers, podemos imaginar o que poderia acontecer.

Com a Estruturação e Segmentação de Redes adequada, os diversos e frequentes ataques cibernéticos não impactam diretamente o seu negócio. Mas para que isso aconteça de forma eficaz, é necessário que seu ambiente possua um Firewall que seja capaz de identificar as aplicações que trafegam entre as redes, onde serão implementadas as políticas de segurança que autorizam apenas a comunicação dos dispositivos que realmente devem trocar dados entre si, além de separar o ambiente de servidores e aplicações que terão acessos externos, protegendo os servidores internos que possuem as informações sigilosas e críticas do negócio. Conceito também é conhecido como DMZ ou Zona Desmilitarizada.

Cenário 02 (Recomendado)

No caso do cenário 2 (RECOMENDADO) há uma separação considerável entre os diferentes setores, segregando totalmente as estações de trabalho dos servidores da empresa, onde ficam as informações principais.

Nesta segmentação, caso as estações de trabalho sejam infectadas com algum tipo de vírus, o firewall identifica o comportamento malicioso do malware e impede que ele se espalhe por outras áreas da empresa, desta forma, protegendo ainda mais rede de servidores.

Isto acontece devido ao fato de que as políticas de segurança configuradas sobre o firewall controlam todo o tráfego de dados entre as estações de trabalho e os diferentes departamentos e dispositivos da empresa. 

Exemplo: Caso um computador ou dispositivo do departamento administrativo seja infectado, o malware não conseguirá se propagar para o restante da empresa, pois será bloqueado devido a política de segurança aplicada ao firewall. Saiba mais sobre nosso serviço de MSS – Firewall Gerenciado.

Como resultado, com nosso serviço de Estruturação e Segmentação de Redes, sua empresa e seus dados estão protegidos de forma estratégica, pois deste modo os ambientes ficam apartados, fazendo com o que tenha maior controle sobre incidentes internos, dificultando o acesso de hackers aos dados do negócio da empresa.

Solicite um orçamento para nossa equipe de especialistas em segurança.